AS Notícias Online
HOME POLÍCIA POLÍTICA ESPORTE GERAL EVENTOS EMPREGOS AGENDA VÍDEOS CONTATO
Boa noite - Itabira, terça, 16 de outubro de 2018  

GERAL
Falta vacina contra meningite em oito das nove regionais da capital
Secretaria confirma o problema e alega que há atraso no repasse de doses por parte do governo federal 02/10/2018

Enviar por e-mail
Imprimir
Aumentar letra
Diminur letra
Capturar.JPG
Imunização. Vacina é distribuída gratuitamente em postos de saúde do país para jovens de até 14 anos
PUBLICADO EM 02/10/18 - 03h00

A vacina meningocócica C, contra um dos tipos de bactérias que causam a meningite, está em falta em vários postos de saúde de Belo Horizonte. Servidores lotados nessas unidades relatam que a imunização está em falta há muitos dias e que, quando as doses chegam, acabam em até 48 horas.

Nesta segunda-feira (1), a reportagem ligou para centros das nove regionais da capital, e em oito delas o problema foi constatado. Apenas na Noroeste a situação estaria normalizada. Isso ocorre porque a distribuição está em menor quantidade do que o necessário, provocando uma corrida dos belo-horizontinos pela vacina. A injeção é indicada para menores de 1 ano e para adolescentes de até 14 anos, quando não imunizados na infância.

A Secretaria Municipal de Saúde da cidade confirmou que houve falta de doses em parte das unidades de saúde. A pasta não soube informar, no entanto, em quantas delas estariam faltando as vacinas. “A gente estava recebendo do Ministério da Saúde um quantitativo menor da vacina. Mas recebemos na semana passada 10 mil doses e estamos distribuindo 60 doses por unidades. Neste momento, estamos abastecidos”, disse a diretora de promoção à Saúde e Vigilância Epidemiológica da secretaria, Lúcia Paixão.

 

No entanto, a realidade nos postos é outra, afirmam os servidores. “Já tem dias que estamos sem vacina e não devemos receber antes do dia 10”, informou uma funcionária do Centro de Saúde Cachoeirinha, na região Noroeste de BH. Em outros locais, não existe nem previsão de recebimento do novo lote.

Causas. Segundo Lúcia, o motivo para a falta da meningocócica C seria a entrega de remessas menores do que o necessário por parte do Ministério da Saúde. Esse problema no abastecimento começou em julho deste ano e estaria sendo regularizado apenas agora.

O ministério informou, em nota, que os atrasos na entrega foram do laboratório produtor, a Fundação Ezequiel Dias (Funed). O governo informou ainda que, de janeiro a setembro deste ano, foram distribuídas 6,3 milhões de doses dessa vacina no país. Dessas, 521,4 mil foram enviadas para Minas. Não foram informadas, no entanto, quantas deveriam ter sido entregues no período.

A Funed esclareceu que, desde 2010, é o fornecedor exclusivo da vacina ao ministério e que, até 2018, não havia relato de desabastecimento. Mas, neste ano, aconteceram problemas na logística. Dentre eles, a necessidade de adequação emergencial na fábrica de produção na Europa, com quem a Funed tem parcerias. A fundação garante estar trabalhando para regularizar a situação.

 

Cobertura vacinal está baixa em Minas

A cobertura vacinal contra meningite está baixa em Minas Gerais. Entre os menores de 1 ano, apenas 65,9% foram imunizadas, segundo a Secretaria de Estado de Saúde. O ideal seria que fossem 95%. É o menor indicador dos últimos cinco anos, pelo menos.

Em Belo Horizonte, apenas 75% das crianças que deveriam ter sido vacinadas receberam a dose, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. A situação preocupa e pode, no médio prazo, gerar surtos da doença. “Em um primeiro momento, como temos muitas crianças vacinadas nos anos anteriores, as pessoas não vacinadas acabam sendo protegidas. Mas no médio e longo prazo a situação pode piorar”, afirma o epidemiologista, José Geraldo Leite Ribeiro.

Segundo a diretora de Promoção à Saúde e Vigilância Epidemiológica de Belo Horizonte, Lúcia Paixão, o quadro é pior entre os adolescentes. A vacina passou a ser distribuída nos postos apenas em 2010. Então, várias crianças não foram imunizadas e precisam receber a dose. “Nossos esforços estão direcionados a essa parcela da população. Até os 14 anos, os adolescentes podem receber a vacina gratuitamente. A cobertura está baixa por negligência dos pais”, afirma.

Sem saída

Internacional. Procurada pelo Ministério da Saúde, a Organização Pan-americana de Saúde disse que não há laboratório fora do país com capacidade de atender a demanda nacional.

Saiba mais

Casos. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, neste ano Minas registrou 566 casos de meningites de todos os tipos. Foram 76 mortes em função da doença. Em Belo Horizonte, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, foram 107.

Rede particular. Nas clínicas particulares, onde é vendida a vacina ACWY, também começam a faltar doses. “É um problema dos revendedores”, conta o sócio-proprietário da Imune, Wilker Pimenta. Lá, não tem a vacina há semanas. Na clínica Imunológica, apenas uma das três unidades tem as doses.

 


 

 

E-mail: contato@regionaldigital.com.br

REGIONAL DIGITAL 2018. Todos os Direitos Reservados.
REGIONAL DIGITAL
INFORMAÇÃO DE QUALIDADE!
Desenvolvedor: SITE OURO